1 de outubro de 2013

O que é release ou press release no jornalismo?



O release ou press release é uma importante 'ferramenta' utilizada por assessorias de imprensa. De acordo com Rivaldo Chinem, trata-se de uma sugestão de pauta que deve complementar o trabalho de apuração de dados de um repórter.

Em outras palavras, ou melhor nas minhas, é como oferecer comida pra quem tem fome. Nesse caso, o repórter que vive em busca de uma pauta jornalística. [risos]

No entanto, esqueça minhas palavras e se apegue à definição de quem tem moral pra falar sobre o assunto. Rivaldo Chinem, define da seguinte forma:

Leia também:
+ O que é escalada no jornalismo
+ O que é clipagem no jornalismo
+ O que faz uma Assessoria de Imprensa
+ Qual a importância de um blog para estudantes de jornalismo
Imagem: Reprodução/Portal Comunique-se
“O [release], também chamado de press release, deve ter a função de ajudar ou complementar o trabalho de levantamento de informações do repórter. De modo geral, o press release funciona como uma sugestão de pauta, o ponto de partida do trabalho do repórter, a quem cabe dar sequência às demais etapas da reportagem, que são entrevistas, consulta, checagem de informação e redação do texto final da matéria”. (CHINEM, 2003.)

Outra definição;


Material de divulgação produzido pela assessoria de imprensa e destinado aos veículos de comunicação. É escrito em linguagem e segundo critérios essencialmente jornalísticos, embora não tenha pretensão de ser aproveitado na íntegra como texto pronto. De modo geral, o release tem a função básica de levar às redações notícias que possam servir de apoio, atração ou pauta, propiciando solicitações de entrevistas complementares. Kopplin e Ferraretto (2001, p. 59)

História do release no Brasil

Contam os mais velhos que o release teria surgido no Brasil, na primeira metade do século XX, como instrumento pra divulgar atos, decretos, ações dos governos. Durante a ditadura militar, o release teve o uso disseminado em órgãos públicos, o que criou má fama e preconceitos. Da mesma forma, entretanto, boa parte da imprensa baseou-se muito nos textos oficiais de instituições públicas e privadas, fazendo o chamado jornalismo “declaratório” ou “chapa branca”.

A partir da década de 80, com a redemocratização, a volta da liberdade de imprensa, o estabelecimento de novos padrões de competitividade e a necessidade das organizações de darem satisfação à sociedade, criou-se um contexto, onde o release se transformou em um importante artefato, tanto da iniciativa pública, quanto da iniciativa privada, para utilizar a imprensa como elo com a sociedade.

Quais os requisitos para a elaboração do release

Produzir um release não é nenhum 'bicho papão' se você já sabe produzir uma notícia. Segundo Gilberto Lorenzon e Alberto Mawakdiye (2002), a elaboração de um release, quanto à estrutura, deve ser baseada em alguns requisitos, entre eles, os seguintes;

- Criar um release deve ser como redigir uma notícia, pois as principais informações devem está na abertura. Logo, basta seguir a técnica da pirâmide invertida;

- A principal informação deve ser colocada de imediato. Pois, será ela [o gancho] a responsável por gerar uma notícia ou reportagem sobre o assunto do release. Assim, é preciso que você entenda o que é gancho;

- Busque responder no primeiro parágrafo, chamado de lead, as 6 perguntas do jornalismo. Sobre o assunto recomendo que leia;

7 tipos de release ou press release

O release, segundo Gerson Moreira Lima, pode ser classificado em sete tipos;
  1. release para colunismo social
  2. release cortesia
  3. release convite
  4. release brinde
  5. release depoimento ou release testemunho
  6. release cobertura 
  7. release greve.

Pra que você entenda e conheça cada um desses tipos citados, vejamos detalhadamente;

  • Release para colunismo social
Objetiva a promoção de pessoas e seus cargos, além de promover também organizações quando se trata, por exemplo, de inaugurações ou aniversários, entre outros.
  • Release cortesia 
Busca o fortalecimento de laços comerciais entre empresa e cliente. Caracterizado também por não fazer referência à empresa responsável pela sua publicação, quer ao seu produto, à sua marca ou mesmo a quaisquer nomes que compõem sua direção.
  • Release convite
O nome já diz tudo. Segundo Lima, esse tipo pode ser chamado de "mini" e é mais um convite, muito embora apresente informações que possam se transformar em matérias.
  • Release brinde
De acordo com Gerson Moreira Lima, o release brinde é parecido com texto-carta, não sendo necessário título e,dificilmente ultrapassa dois parágrafos. O autor revela que é usual em textos dessa espécie enviar-se um brinde que tenha sido o motivo da criação do texto, ou seja, um brinde que se constitua no próprio gancho para a notícia. 

Outro detalhe é que sempre se coloca a ficha técnica do brinde, isto é, os nomes e funções daqueles que trabalharam na elaboração da peça.
  • Release depoimento ou testemunho
Ah, vá! Não é possível que você tenha dúvidas. Trata-se de texto que expressa a opinião de alguém especializado no tópico abordado. 
  • Release cobertura
É o mais comum e visa noticiar a cobertura de um evento ou de um fato a ser realizado ou já realizado.
  • Release greve
Pode ser caracterizado pela unilateralidade e parcialidade. Além disso, redação é feita pela seqüência dos acontecimentos. É usual também as matérias serem redigidas em formas de comunicados ou notas oficiais, onde o que se vê é uma pequena abertura de quem o está distribuindo, seguida do relato dos fatos, quase sempre redigida pela presidência ou diretoria.

Categorização de Duarte é mais completa e atual
Embora vários autores listem tipos diferentes, a categorização de Duarte (2003), é mais completa e atual:

- Padrão: sintético e objetivo, com predominância de informações sobre fatos, produtos, eventos;
- Opinião: traz idéias e opiniões de uma fonte;
- Áudio-release: destinado a emissoras de rádio, contém comentários ou entrevistas. É disponibilizado em CDs ou na internet;
- Vídeo-release: contém entrevistas, depoimentos ou trechos de espetáculos  para veiculação em emissoras de televisão;
- Exclusivo: como o próprio nome diz, destinado a apenas um jornalista ou  veículo, aumentando as chances de aproveitamento;
- Especial: detalhado, com depoimentos e fontes, contextualizando o tema. Voltado para a grande reportagem;
- Nota: texto curto destinado a colunistas;
- Coluna: produzida regularmente para ser veiculada em espaço fixo. Seu objetivo é manter determinado tema na agenda da cidade;
- Convocação: traz detalhes de interesse específico da imprensa sobre um evento, ajudando a organizar e orientar a presença de repórteres;
- Cobertura: informa sobre um evento já ocorrido aos veículos que não compareceram;
- Boletim de pauta: conjunto de pautas enviadas a jornalistas para seleção de assuntos de interesse;
- Release eletrônico: enviado por e-mail, traz com ele possibilidades que só a internet oferece, como o envio de textos curtos e links para o texto completo, bem como anexos e fotos;
- Press-kit: conjunto de material informativo acerca de um evento para subsídio do jornalista;
- Pré-pauta: serve como alerta, avisando para o jornalista sobre um assunto que será divulgado posteriormente;
- Artigo: assinado pelo assessorado para ser publicado nas editorias de opinião;
- Segmentado: produzido em linguagem especializada para determinado grupo de jornalistas, geralmente em editorias de agropecuária, veículos, etc

Conclusão
Portanto o release ou press release tem toda uma importância, principalmente, em assessorias de imprensa e não é tão simples como imaginávamos [risos]. Porém, espero ter te ajudado a compreender melhor sobre o assunto.

Ainda recomendo a leitura da reflexão de Bruna Karpinski, jornalista com MBA em Jornalismo Empresarial, sobre release. O texto está disponível na página do Sindicato dos Jornalista do Rio Grande do Sul. Veja aqui

*Com informações retiradas dos artigos;

 RELEASEMANIA: UM PANORAMA SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS RELEASES EM UM JORNAL REGIONAL, produzido por Ariane Aparecida Fonseca de Souza e Sara Alves Mimoso, sob orientação da Profª Me. Neide Aparecida Arruda de Oliveira. 

O USO DE RELEASE NOS CADERNOS DE CULTURA DOS JORNAIS IMPRESSOS DE TERESINA, produzido Clarissa Sousa de CARVALHO.



Gostou do conteúdo do Ferramentas Foca? 
Deixe seu comentário ou envie sugestão através do Formulário de Contato.

Receba notificações sobre novas postagens.

É grátis.

ATENÇÃO: Em seguida, abra seu e-mail para confirmar o cadastro

Sobre o Autor: Epifanio Santos é formando em jornalismo pela Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e fascinado por empreendedorismo digital. Tornou-se viciado em leituras sobre Marketing Digital, SEO, Afiliados, Redes Sociais e mais um monte de temas afins.

3 comentários :

  1. Ótima contribuição, dos eu texto e do blog, muito bons os links também, meus parabéns Epifânio!!! (Marcos Patrício Vieira de Sousa).

    ResponderExcluir
  2. *seus textos (Corrigindo), aqui quem fala é o seu colega do Curso de Jornalismo da UESPI (3° Bloco noite) Marcos Patrício ou Marcos Vieira By Facebook!

    ResponderExcluir
  3. Marcos, agradeço pela visita e elogios. Abraço

    ResponderExcluir

Comentários são bem-vindos. Então, deixe sua dúvida, crítica ou opinião!