27 de maio de 2013



Roberto Quaresma Rego, mais conhecido como Roberto Denez, aceitou o desafio; concedeu uma entrevista a um foca despreparado, eu [risos]. Denez é formado em Comunicação Social: Hab. Jornalismo [UFPI], com especializações em Gestão da Comunicação e do Marketing Institucional e Gestão Empresarial. Professor, aluno de psicologia [quase formado], design gráfico, entre outras, ele acumula um vasto conhecimento sobre nossa área.

Durante a entrevista, Roberto deixa conselhos, faz críticas e puxa orelha de muita gente que estuda jornalismo. "Estudante de jornalismo deve sair da universidade alfabetizado visualmente" declara. Além disso, ele também faz críticas quanto ao ensino. "Vejo muita enfase no ensino do telejornalismo e impresso, quando deveria haver uma busca pela polivalência" critica Roberto Denez, especialista em Gestão da Comunicação.

Leia também:
Entrevista com o jornalista Rômulo Maia
Entrevista com a jornalista Letícia Pereira
Um bom jornalista saber usar sua arma

Confira abaixo, na íntegra, a entrevista com Roberto Quaresma Rego, especialista em Gestão da Comunicação e do Marketing Institucional e Gestão Empresarial.

Independente da área de atuação, o senhor diria que o ensino é o único culpado por alguns péssimos profissionais existentes no mercado de trabalho?
Não digo que o ensino seja o único culpado. O estudante precisa buscar conhecimento, precisa querer aprender. Ensino de qualidade não é sinônimo de bom profissional. Você precisar querer.

Qual seria a parcela de culpa do ensino no que se refere a profissionais de comunicação que deixam a desejar ao desenvolverem suas atividades?
Acredito que a falta de uma busca pela polivalência acaba contribuindo para que tenhamos profissionais inseguros no mercado. As universidades precisam deixar de dar ênfase a uma determinada área em detrimento da outra. Talvez seja essa a culpa do ensino.

E como seria isso na prática. O senhor poderia ser um pouco mais claro, por gentileza.
Percebo uma preocupação exagerada em ensinar telejornalismo e impresso. Mas, não acontece o mesmo com o rádio, web design, entre outras. Então, vejo que é preciso preparar o estudante para que ele também saia da universidade alfabetizado visualmente.

Aproveitando que o senhor falou em impresso, pergunto: o senhor acredita no fim desse tipo de jornalismo?
Não, ele não vai acabar. Quando a televisão surgiu, disseram que era o fim do rádio. Porém, ainda hoje o rádio continua com suas atividades. Portanto, vejo que caminhamos para um processo de complementaridade de mídias. Até porque a tecnologia não existe o tempo todo, ou existe!

Vamos falar sobre webjornalismo. Têm muitos profissionais levando para internet a mesma linguagem do impresso, outros que parecem desconhecer o básico sobre esse meio. Já é hora de aparecer a disciplina sobre webjornalismo?
Veja bem, na minha época de estudante de jornalismo não tivemos a oportunidade de nos aprofundar sobre o assunto. Na verdade, não estudamos sobre isso. No entanto, tive que buscar acompanhar a evolução das tecnologias. Estudo sobre o assunto e sei o quanto é importante que saibamos utilizar os recursos da internet na prática do jornalismo. Como disse antes, você precisa querer aprender independe de disciplina. Claro que surgindo, vocês ganham muito mais.

Aponte-nos características importantes que devemos cultivá-las para um bom exercício da nossa profissão?
Seja impulsivo. Leia tanto quanto puder [deixem de ouvir esse conselho e passem para a prática!]
Uma característica importante é ser curioso. Desconfie, sempre. Não aceite a primeira opinião na apuração de um fato. Preze por bons relacionamentos, tenha contatos e seja ético. Acho que já é um bom começo!

O que o senhor acha da atitude de um estudante que entra no mercado logo no início do curso? 
Péssimo. Entrar no mercado sem saber nada é horrível e perigoso. É preciso que saiba o básico pra não deslizar.

O jornalismo é tão cheio de armadilhas que um foca nunca começa em editoria de política, por exemplo. Agora imaginemos alguém que não sabe absolutamente nada, e vai se aventurar em uma redação! Acho que é preciso saber o que fazer e porque fazer. Não tenha pressa. Primeiro, aprenda.

Pra finalizar, qual a mensagem que o senhor deixa aos estudantes de jornalismo que acompanham o blog?
Bom, acho que já disse muita coisa que vocês devem buscar. Mas, destaco ainda que é importante que busquem revisar textos. Tenham o hábito de fazer isso, vai evitar muitos erros. Precisamos ler o que escrevemos. Fica a dica!

Além disso, aconselho que busquem aprender sobre, por exemplo, photoshop, corel draw, entre outras coisas que podem ajudar na nossa profissão. Vivemos em um constante processo de mudanças e inovações, o que nos obriga a buscar aprender sempre mais. Então, sejamos curiosos.







Comentários: